Tik Tok está causando estranho tique nervoso em jovens; Veja

Longa exposição ao conteúdo da plataforma tem promovido o surgimento de tiques parecidos com aqueles elencados pela Síndrome de Tourette.

0 84

Um estudo da Universidade de Calgary (Canadá) trouxe uma alerta preocupante a respeito de jovens que utilizam a rede social Tik Tok com frequência. De acordo com a pesquisa, a longa exposição ao conteúdo da plataforma tem promovido o surgimento de tiques parecidos com aqueles elencados pela Síndrome de Tourette.

Veja também: Chef corta cabeça de cobra para cozinhá-la e é morto ao ser picado 20 minutos depois

Para quem não conhece a doença, trata-se de um distúrbio do sistema nervoso relacionado a movimentos repetitivos e sons indesejados. O aparecimento de tiques vem se intensificando durante a pandemia, sobretudo em meninas e mulheres jovens que utilizam por longas horas o TikTok na pandemia.

Davide Martino, um dos neurologistas que participaram do estudo afirma que o caso pode ser analisado como uma espécie de “epidemia dentro da pandemia”. De acordo com especialistas, a origem dos tiques seria o resultado de uma soma do estresse do isolamento social à exposição aos comportamentos de outras pessoas no TikTok.

Mas calma, não é Tourette

O tique surgido no TikTok  não pode ser considerado um caso de Síndrome de Tourette, que faz as pessoas repetirem sons e movimentos contra sua própria vontade, ou seja, de forma involuntária.

Isso porque a doença já conhecida começa a dar sinais logo nos primeiros anos da infância. Além disso, Tourette é mais incidente em meninos. Outro fator que descarta ser esta a causa do estranho tique é o fato de episódios de ansiedade e mudanças repentinas de humor antecederem os tiques  associados a quem utiliza a mídia social com frequência.

Por este motivo, os cientistas resolveram chamar o caso de “comportamentos semelhantes ao tique funcional”. Apesar da nomenclatura que faz menção ao tique, os estudiosos alertam que isso não faz o transtorno menos real ou grave.

Para concluir, Martino e sua equipe perceberam que as meninas que apresentaram o tique nervoso não conseguem parar de fazê-lo, mesmo quando tentam ao máximo. Nestes casos, o neurologista aconselha que casos semelhantes passam a ser tratados com seriedade para ajudar na solução do problema.

você pode gostar também
Deixe um comentário