Saiba quanto vai custar e quem paga a vacinação contra a Covid-19 no Brasil

Cada dose produzida pelo Instituto Butantan vai custar R$ 58,20.

0 64

Nesta semana, o Brasil deu início à vacinação contra a Covid-19. O Ministério de Saúde prevê que 354 milhões de doses sejam aplicadas até o fim do ano, quantidade suficiente para vacinar mais de 84% da população maior de 18 anos não gestante, público-alvo do plano de imunização.

Mas, afinal de contas, quanto custa e quem paga a vacinação contra a Covid-19 no Brasil?

O Ministério da Economia divulgou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 vai custar aproximadamente R$ 20 bilhões aos cofres públicos. A quantia engloba a compra das doses necessárias, despesas com insumos, logística, comunicação e publicidade, além de outras necessidades eventuais.

Os recursos vão ser desembolsados conforme o governo federal for adquirindo as vacinas dos institutos responsáveis pela fabricação e importação. O valor foi autorizado pela medida provisória de crédito extraordinário nº 1.015, assinada por Bolsonaro no dia 17 de dezembro de 2020. Segundo dados do Tesouro Nacional, R$ 3 bilhões devem ser gastos nas próximas semanas.

Vacina Covid
Campanha de imunização aos grupos prioritários já começou.

Através da Fiocruz, o governo vai pagar R$ 59,4 milhões para importar 2 milhões de doses prontas da vacina de Oxford. A quantia cobre a vacina, custos de operação, armazenagem e transporte.

Por meio do Ministério da Saúde, o governo federal vai pagar quase R$ 2,7 bilhões ao Instituto Butantan por 46 milhões de doses da Coronavac, incluindo as seis milhões que foram importadas da China. Cada vacina vai custar R$ 58,20.

A assessoria de imprensa do Butantan informou que as seis milhões de doses importadas da China, além dos estudos clínicos feitos desde julho foram custeados pelo próprio Instituto, que é ligado à Secretaria Estadual de Saúde do Estado de São Paulo.

O Ministério da Saúde segue em negociações com outros laboratórios para compra de vacina, entre eles: Janssen (EUA), Moderna (EUA), Pfizer (Alemanha), Bharat Biotech (Índia) e Gameleya (Rússia).

Você também pode se interessar por: Entendendo a gripe H1N1 e sintomas da influenza

você pode gostar também