Nove situações que não eram assustadoras antes da pandemia, mas agora são

Vida pós-pandemia será classificada como um "novo normal", repleta de adaptações.

0 97

Antes da pandemia de Covid-19, a vida seguia normal, sem medidas de prevenção como distanciamento social e uso de máscaras, e com uma rotina habitual de trabalho, planos para viagens e outras atividades de lazer. Não é mentira que sentimos falta de tudo isso e sofremos com cada morte e a insegurança causada pelo novo vírus. No entanto, acreditamos que gradualmente as coisas vão voltar ao chamado “novo normal”, mas o que não sabemos é como lidar com situações que antes eram tão comuns.

Embora haja muitas notícias negativas, temos a tão sonhada vacina, que aos poucos vai imunizando a população. Mas ainda é difícil pensar na volta da rotina…

Pós-pandemia

Indivíduos diagnosticados com ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e outros traumas possuem uma dificuldade ainda maior de pensar em como será o pós-pandemia.

A ansiedade pode ser um recurso da mente que atua como alerta para condições em que devemos ter cuidado. Esses momentos ao ar livre e com outros indivíduos podem acarretar certo desconforto à medida que as coisas retornam ao funcionamento.

Para ajudar com isso, veja algumas dicas para driblar os desconfortos do retorno e voltar a ter contato com pessoas e ambientes cheios.

1. Aperto de mão e abraços

No início da pandemia do coronavírus, apertar ou não a mão era uma questão bastante questionada. Agora, a maioria das pessoas simplesmente não toca mais nas mãos umas das outras. Logo, quando indivíduos se encontram, caso alguém estenda a mão, pode ser que o outro recue por instinto.

Se você estiver se sentindo desmotivado em apertar as mãos, um outro recurso pode ser acenar ou bater com os cotovelos.

2. Compartilhar objetos

Nas condições em que você tiver que compartilhar objetos para ajudar alguém, é possível modificar a situação para deixá-la mais confortável. Além disso, controle a ansiedade e tome cuidado com os riscos, sempre higienizando bem as mãos.

3. Contato visual

Para quem pode e está seguindo o distanciamento social em casa, é possível que os únicos indivíduos com que tenha contato visual seja a sua família, atendentes de mercados e companheiros de trabalho.

No futuro sem máscaras, você pode tentar desviar o olhar por medo. Mas lembre-se que um simples sorriso pode demonstrar empatia.

4. Dividir espaços públicos

Nas situações em que você tiver que compartilhar um espaço com alguém e não se sentir confortável, responda que não está vacinado e prefere manter a distância ou explique a angústia.

5. Encontro amoroso

Se for convidado a encontrar alguém depois de tanto tempo, seu cérebro pode instantaneamente cismar e não saber responder a um pedido como esse. É recomendado ir devagar se não se sentir pronto. Sugira a troca de números de telefone e depois vá para encontros virtuais.

6. Ir a salões de beleza

Os salões de beleza e spas podem não ser tão tranquilos para quem está com receio de ser contaminado. Nesse caso, questione quais precauções foram tomadas e vá a outros locais caso perceba que aquele não atende aos padrões de segurança.

7. Multidão

Ao ver a televisão, é provável que qualquer cena com aglomerações acarrete estranhamento para você. Ainda que estejamos distantes de fazer grandes reuniões, de modo consciente e sem exposição de si e dos demais, isso retornará a ser constante.

Portanto, é possível criar alguns espaços de proteção. Utilize estrategicamente cotovelos, pernas ou objetos (sacola de compras ou carrinho de supermercado) para manter o limite de distância, ou simplesmente peça gentilmente.

8. Novos relacionamentos íntimos

As questões mudaram e, agora, avançar do flerte para o primeiro encontro pode ser à moda antiga. Além disso, surgem algumas questões, como se a pessoa foi vacinada, o que ela pensa da vacina e do uso de máscaras, qual foi o comportamento dela ao longo da pandemia, se é assintomática, etc.

9. Retorno ao ambiente de trabalho

Na volta ao escritório, o que pode ser mais amedrontador é a perda de controle sobre a rotina de precaução e alteração repentina de hábitos. Também, você pode não estar mais habituado a passar roupas para sair e interagir com indivíduos.

É comum se sentir ansioso e pode ser estranho se readaptar à sociedade, mas estamos no mesmo barco e podemos (com segurança) auxiliar uns aos outros a superar a situação.

Leia também: Pesquisadores liderados por brasileira localizam proteína que pode ajudar no tratamento da Covid-19

você pode gostar também
Deixe um comentário