Em desafio à teoria de Einstein, pesquisadores superam a velocidade da luz

Saiba o que a descoberta dos cientistas influencia na Teoria da Relatividade Geral, criada pelo físico alemão.

0 50

No ano de 1905, o cientista alemão Albert Einstein postulou que a velocidade da luz (de 299,792,458 metros por segundo) é constante e insuperável.

Entretanto, pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, nos Estados Unidos, conhecido por projetar ogivas nucleares, conseguiram superar a teoria do cientista alemão.

Tal feito se deu por meio da utilização de laser através de plasma, que permite alterar a velocidade da luz para mais lenta ou rápida. Tudo aconteceu em laboratório e sem quebrar nenhuma lei da Física.

A pesquisa, liderada por Clément Goyon, demonstra que o time de pesquisadores atingiu uma velocidade acima da velocidade da luz com ondas eletromagnéticas de um feixe de laser através de plasma – gás ionizado pelo calor e um dos estados da matéria.

Como medir a velocidade da luz

Durante a demonstração, os pesquisadores criaram um plasma de hidrogênio-hélio ionizando um jato de gás com um feixe de laser polarizado. Depois disso, eles direcionaram o segundo feixe de laser para esse plasma. Dele, foi mensurada uma velocidade que ultrapassou os níveis da luz.

A descoberta, publicada no periódico científico Physical Review Letters, pode ajudar na pesquisa de novas tecnologias para aceleradores de partículas. Os instrumentos ajudam cientistas a compreender a origem do universo e realizar pesquisas sobre materiais, ou então gerar energia para fusão nuclear.

A Teoria da Relatividade Geral, criada por Einstein, continua valendo mesmo após o feito dos pesquisadores. Isso porque, o que eles conseguiram demonstrar com a pesquisa, em condições específicas, foi apenas uma brecha do que pode ser necessário para atingir a velocidade supraluminal.

Leia ainda: Maior iceberg do mundo se desprendeu de plataforma de gelo na Antártida: e agora?

Deixe um comentário