Exoplaneta potencialmente habitável é localizado ‘próximo’ a Terra

Análise de dados coletados pela Near Earths (NEAR), realizados entre maio e junho de 2019, apontam possibilidade de existência de exoplaneta.

0 57

A revista Nature Communications  publicou nesta quarta-feira, 10, um estudo que destaca a chance do surgimento de um exoplaneta. O planeta extra-solar é nomeado como “C1” e possui circunstâncias habitáveis.

O achado ocorreu depois da análise de 100 horas de dados coletados pela Near Earths (NEAR),  feitos entre maio e junho de 2019. O levantamento destaca que o suposto exoplaneta se situa na região habitável compreendida pela estrela Alpha Centauri A, pertencente a Alpha Cen, sistema estelar mais próximo da cadeia de planetas solares.

A massa espacial é da dimensão de Neturno e se encontra a uma distância média de aproximadamente 150 milhões de quilômetros do planeta Terra  e do Sol. Para pesquisadores, é um espaço próximo em comparação a outros já descobertos.

Exoplaneta

De acordo com a pesquisa, um exoplaneta é um planeta que orbita uma estrela, não sendo ela o Sol. Em relação a massa descoberta, ainda não foi confirmado se tratar de mais um planeta no sistema Alpha Cen, sendo necessário debruçar em mais estudos.

“C1 aparece com um brilho que seria esperado de um planeta gigante de Alpha Centauri A e com um alongamento consistente com o movimento orbital de um planeta, orbitando ao longo de dezenove dias”, destaca o estudo feito por pesquisadores da Alemanha, Estados Unidos, França e Suíça, tendo sido mencionado pela CNN Brasil.

Pesquisa

A pesquisa recebeu o investimento de US$ 3 milhões (R$ 16,1 milhões) do Observatório Europeu do Sul (ESO) e do Breakthrough Watch, aplicação que procura por planetas com condições similares à Terra em torno das estrelas.

A busca por planetas com zonas habitáveis se deu com utilização de um telescópio de grande potência do ESO, no Chile. Os cientistas tiveram o resultado depois de atualizarem a tecnologia do instrumento, com a inserção de um novo coronógrafo. A ferramenta bloqueia a luz das estrelas e possibilita a captação do calor dos planetas em torno delas.

“As zonas habitáveis ??de Alpha Centauri A e outras estrelas próximas podem hospedar vários planetas rochosos – alguns dos quais podem possuir condições adequadas para a vida”, destacaram os cientistas.

O principal autor do estudo, Kevin Wagner, disse, em comunicado, que o resultado do estudo é tido como uma surpresa. Ele atestou a necessidade de uma análise mais detalhada para confirmar se é realmente um novo exoplaneta.

“Ficamos surpresos ao encontrar um sinal em nossos dados. Embora a detecção atenda a todos os critérios para a aparência de um planeta, explicações alternativas – como poeira orbitando dentro da zona habitável ou simplesmente um artefato instrumental de origem desconhecida – têm que ser descartada. A verificação pode levar algum tempo e requer o envolvimento e engenhosidade da comunidade científica mais ampla”, argumentou.

Veja também: Mitos e verdades: a influência das fases da lua no corpo humano

você pode gostar também
Deixe um comentário