Alimentação no Império Romano: saiba como era o cardápio e quais os hábitos alimentares da população

No Império Romano, as práticas alimentares variavam de acordo com as classes sociais.

0 81

O Império Romano ficou mundialmente conhecido pelo domínio militar em todo o mundo por vários séculos. Além disso, os grandiosos avanços arquitetônicos também chamam atenção. Contudo, hoje vamos trazer outra questão: a alimentação dos cidadãos da Roma Antiga. Continue lendo para ter suas dúvidas respondidas. 

Seguindo a mesma tendência do império, a gastronomia romana também era vasta. Pela manhã, os cidadãos passavam pelo ientaculum, equivalente ao nosso café da manhã, formado normalmente por pão, frutas e queijo. No meio dia, era a hora do prandium, um tipo de almoço leve, com ovos e vegetais. 

Alguns trabalhadores retornavam aos pães e queijos na chamada vesperna, um tipo de lanche da tarde. Ao anoitecer, na cena, eram servidas carnes dos mais variados tipos, incluindo porco, carne vermelha, aves e caças em geral. Além disso, frutas secas, pães, peixe e folhas formavam o cardápio ideal de um dia comum em Roma.

Especialistas garantem que 70% da alimentação romana era constituída por vegetais e grãos. Entretanto, as seleções variavam de acordo com as diferentes classes sociais. 

As colheres eram mais usadas para as refeições. Os garfos, por outro lado, tinham a função de servir os alimentos. As bebidas eram servidas em copos de vidro, prata ou cerâmica. 

Os cidadãos das classes mais altas podiam jantar deitados em um divã, assistindo apresentações musicais e teatrais ao longo das refeições. Curiosamente, o ato de comer fora era considerado um hábito das classes mais baixas. 

Esse conhecimento foi levantado na matéria do site My Modern Met.

Leia também: 10 curiosidades sobre a Revolução Industrial